Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

PC investiga caso de adolescente que queria fazer chacina em escola do Araguaia

 
A Polícia Judiciária Civil de Confresa recebeu uma denúncia de que um adolescente estudante de uma escola da zona rural de Confresa, havia dado indícios de que poderia estar com pensamento de realizar uma chacina em sua unidade escolar.

Em entrevista exclusiva ao site Olhar Alerta, o delegado André Rigonato afirmou que o pedido de acompanhamento foi feito pelo Conselho Tutelar, e em diligências, investigadores se deslocaram até a escola em questão e lá, confirmaram a informação juntamente ao diretor da instituição. Inclusive o menor havia indagado uma colega se ela teria coragem de praticar o massacre em sua sala.

O jovem, que estava em aula, foi chamado e levado até a sua casa. No quarto do rapaz foram localizados dois canivetes, um “mu tchaco”, dois simulacros, um soco inglês e ainda um punhal.

Diante dos fatos, será elaborado um ato infracional para apuração dos fatos, e depois, o processo vai ser encaminhado ao Poder Judiciário para providências.

O delegado expressou em entrevista que a ação diz respeito à prevenção desse tipo de crime, visto que após o ocorrido em Suzano (SP), pode existir um “modismo”. O adolescente, que hoje tem 16 anos, será encaminhado para atendimento psicológico, para saber se algum distúrbio aflige a mente do rapaz.

André alerta os pais para que fiquem atentos aos sinais que os filhos dão. Neste caso, os responsáveis pelo jovem não tinham controle e nem sabiam sobre as armas que ele guardava em seu quarto: “não queremos criar alarde, mas temos um monte de canalhas no mundo que usam as redes para a divulgação disso. A gente quer trabalhar a prevenção para que os pais fiquem atentos aos seus filhos para que mais situações como essa não ocorram”.

Caso responsáveis, instituições de ensino ou outros percebam comportamentos anormais em crianças ou adolescentes, a Polícia Judiciária Civil recomenda que uma denúncia seja feita para que as devidas averiguações ocorram, assim, tragédias como as ocorridas em Suzano, Goiânia e Realengo não se repitam.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Cidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE