Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Brasileira morta pelo ex nos Estados Unidos já foi colega de escola do assassino, diz família

Antônio Lucas era conhecido da família de Cleucilene; os dois tiveram um relacionamento rápido enquanto estavam no Brasil e se reencontraram nos Estados Unidos.

 
 -   /
/ /

Cleucilene Alves da Silva de 41 anos, a brasileira de Açucena, no Leste de Minas, que foi morta pelo ex-namorado no última sexta-feira (31) em Worcester, em Massachusetts, era colega da infância do assassino. De acordo com o irmão de Cleucilene, ela e Antônio Lucas, de 40, tinham estudado juntos e tiveram um breve relacionamento enquanto moravam no Brasil.

O G1 conversou com José Carlos Alves, irmão da vítima. Ele disse que Cleucilene morava nos Estados Unidos há mais de 14 anos e ainda não tinha conseguido a legalização no país. "Ela falava que estava com saudades da família e que queria vir ao Brasil. No ano passado ela conseguiu levar o filho mais velho para morar com ela, eles não se viam há 14 anos, ela falava sempre que queria vir ao Brasil para ver a família e o outro filho que está aqui, com o pai", conta.

  • Brasileira é assassinada pelo ex-namorado nos Estados Unidos

Ainda de acordo com José Carlos, a família ainda não está conseguindo acreditar no que aconteceu. “Nós estamos completamente sem chão, parece que a ficha não caiu. Recebemos a informação, mas perece que não é uma pessoa da nossa família. Já vimos esse caso com várias pessoas, mas quando acontece com a nossa família é diferente né”, disse.

O irmão conta ainda que após o breve namoro que tiveram no Brasil, Cleucilene e Antônio voltaram a ter um relacionamento nos Estados Unidos. Lá, o casal conseguiu comprar uma casa e um carro, que estavam no nome dos dois.

Uma amiga da vítima, que também mora em Worcester, afirmou ao G1 que os dois estavam brigando muito por causa desses bens. “Os dois compraram a casa juntos, enquanto namoravam, mas desde que eles decidiram terminar o namoro que os desentendimento começaram, porque ele não queria mais morar junto com a Cleo, e também não queria sair da casa”, afirmou a amiga, que preferiu não se identificar.

Ainda de acordo com a amiga, o ex-namorado era uma pessoa agressiva e já tinha agredido Cleucilene enquanto eles namoravam. O filho da vítima, que estava morando nos Estados Unidos há pouco mais de um ano, também não se dava bem com Antônio.

"A Cleo tinha o sonho de conseguir trazer os filhos pra morar com ela. Depois de muito trabalho ela conseguiu trazer o filho mais novo, mas quando o Antônio chegou, eles passaram a brigar, não se dava bem com ele. Para tentar evitar o pior ela arrumou outro lugar para o filho ficar”, afirmou a amiga.

A noite do crime

De acordo com a amiga de Cleucilene, no dia 31 a vítima teria convidado um casal de amigos, de Boston, para fazer uma visita. Quando Antônio chegou em casa e viu que eles estavam lá, teria ficado nervoso e mandado as visitas embora.

Cleucilene começou a discutir com o ex-namorado, dizendo que a casa também era dela. Antônio foi até o quarto onde ele dormia e pegou uma faca. Ainda de acordo com a amiga de Cleucilene, ele voltou com faca na mão e falou que iria mostrar quem realmente era o dono da casa. Foi quando Antônio começou a esfaquear a vítima. Ela só teve tempo de pedir para que os amigos corressem e acionassem a polícia, segundo a amiga.

Translado e velório

José Carlos informou que os familiares estão aguardando a liberação da polícia americana para que corpo seja trazido para o Brasil. “Esse processo ainda não tem data para acontecer, pode ser três dias, oito, nós ainda não temos certeza. Mas só estamos aguardando essa liberação para trazer o corpo”, disse o irmão.

Assim que o corpo de Cleucilene for liberado, os amigos dela que estão em Worcester vão realizar um velório antes de enviar o corpo para o Brasil.

O G1 entrou em contato com o Itamaraty, mas não houve retorno até esta publicação.

Veja mais notícias da nossa região em G1 Vales.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE