Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Mulher é condenada à prisão por ter matado homem a facadas em Belém

Garota de programa, a ré de 22 anos confessou ter atacado homem a facadas durante uma briga que começou após ele ter se negado a pagar dívida.

 

Jurados do 1º Tribunal do Júri de Belém, presidido pelo juiz Edmar Silva Pereira, votaram pela condenação de Silviane Cristina Souza Barbosa, 22 anos, acusada de homicídio simples praticado contra o marceneiro Laércio Costa, 54 anos. A condenação foi divulgada quarta-feira (9). A pena base de 13 anos foi diminuída em um ano pela confissão espontânea da ré, sendo por fim fixada em 12 anos de reclusão para ser cumprida em regime inicial fechado. O juiz negou o direito da ré recorrer em liberdade.

Segundo a acusação, a mulher fez um programa com a vítima e este não quis pagar e alegou que pagaria depois. A ré tentou levar o ventilador dele como garantia e este não aceitou. Laércio teria pegado uma faca para atacar a ré, que o desarmou e o perfurou até a morte.

A decisão acolheu a acusação sustentada pelo promotor do júri José Rui Barbosa, em desfavor da ré. A tese acusatória foi a de que a ré agiu por “dolo de ímpeto”, explicando aos jurados que: “embora ela não tivesse inicialmente a intenção, mas, passou a ter no momento do conflito, e de ímpeto resolveu matar o marceneiro por ele não ter efetuado o pagamento do programa que fez com a mulher.

O defensor público Domingos Lopes Pereira sustentou a tese da auto defesa da ré de legítima defesa própria. A promotoria requereu a desclassificação do crime de homicídio doloso para o culposo, argumentando que a ré não tinha intenção de matar. O defensor sustentou também as teses de homicídio privilegiado ou, ainda, lesão corporal seguida de morte, nenhuma delas acolhida pelos jurados.

Duas testemunhas, vizinhas da vítima, disseram que ouviram o marceneiro gritar de dor quando estava sendo esfaqueado. As depoentes relataram que encontraram a vítima despida, apresentando mordidas e ferimentos em todo o corpo, além de pontas da droga que a jovem consumiu. Tentaram socorrer o vizinho e segurar a mulher para impedir que esta fugisse.

Em interrogatório, Silviane Barbosa confessou ter desferido várias facadas na vítima. A versão da mulher é de que já conhecia a vítima há um ano e costumava fazer programa sexual mediante pagamento.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Cidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE