Economia

Economia

Fechar
PUBLICIDADE

Economia

Indicador Antecedente de Emprego da FGV avança 2,6 pontos em novembro

 

O Indicador Antecedente de Emprego (Iaemp), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu 2,6 pontos na passagem de outubro para novembro deste ano e chegou a 88,4 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos. Esse é o maior nível desde abril (92,5 pontos).

O Iaemp é calculado com base em entrevistas com consumidores e empresários da indústria e do setor de serviços, com o objetivo de antecipar a tendência do mercado do trabalho nos próximos meses.

No entanto, o outro indicador sobre o mercado de trabalho da FGV, o Indicador Coincidente de Desemprego (ICD), teve piora no período. O ICD é calculado com base na percepção dos consumidores sobre o desemprego atual e medido em uma escala invertida de zero a 200 pontos, em que quanto maior for a pontuação pior será o resultado.

O ICD subiu 3,1 pontos e chegou a 96,1 pontos, dez pontos a mais do que a média da série histórica iniciada em 2005 (84,2 pontos). Segundo o pesquisador da FGV Rodolpho Tobler, o patamar elevado do indicador e a piora de novembro mostram que ainda há um “longo caminho para reduções em ritmo mais forte da taxa de desemprego”.

Edição: Valéria Aguiar Tags: FGV Indicador Antecedente de Emprego Mercado do Trabalho

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Economia

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE