Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Mais de 500 de estabelecimentos são fechados no PA por desobedecer decreto de prevenção ao coronavírus

Todos os bares, shoppings e restaurantes do estado devem ficar fechados para prevenir a proliferação do Covid-19.

 

Mais de 500 estabelecimentos comerciais foram fechados no último final de semana no Pará por descumprirem o decreto governamental de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19). O balanço foi divulgado nesta segunda-feira (23) pela Secretaria de Segurança Pública (Segup).

O fechamento dos estabelecimentos comerciais no estado foi decretado pelo Governo na última sexta-feira (20). Segundo a medida do governador Helder Barbalho, todos os bares, shoppings e restaurantes do estado devem ficar fechados para prevenir a proliferação do Covid-19. O decreto vale por tempo indeterminado.

Durante o anúncio, o governador reforçou o apelo para que as pessoas fiquem em casa. Ele pediu que a população limite as saídas para comprar itens de primeira necessidade. Farmácias, supermercados e laboratórios continuam funcionando normalmente.

Até o momento, o Pará possui 5 casos confirmados da doença. Todos os pacientes contraíram o vírus em outros estados do Brasil. Os casos foram registrados nas cidades de Belém e Marabá.

As fiscalizações seguem por tempo indeterminado. A população pode ajudar a Polícia Civil denunciando os estabelecimentos comerciais abertos que estejam atuando na ilegalidade, através dos seguintes contatos:

•Belém e Região Metropolitana: Alô Cidadão (99991-0009)
•Interior do Estado: Disque-Denúncia (181).

Preço álcool em gel

Seis farmácias foram autuadas no município de Marabá, sudeste do estado, por cobrarem preços abusivos no álcool em gel. Apesar das autuações, ninguém foi preso.

Em Tucumã, o proprietário de uma farmácia foi preso em flagrante pelos crimes de estelionato e venda de produtos em desacordo com o Código de Defesa do Consumidor. De acordo com investigação da Polícia Civil, o empresário teria adquirido diversos galões de álcool em gel 80%, destinado à queima e indicado para acender churrasqueira, e distribuído em embalagens rotuladas como se fosse álcool 70%.

Em Belém, outro estabelecimento, localizado no km 4 da rodovia BR-316, que praticava preço abusivo no álcool em gel, foi fechado. O local estava vendendo o produto com aumento de até 300% no preço.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Cidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE