Variedades

Variedades

Fechar
PUBLICIDADE

Variedades

'''Sandy e Junior: A História''': Dupla diz que documentário da carreira é como '''terapia aberta'''

Primeiro episódio da série passa na Globo neste domingo 12 . Dupla relembra momentos da carreira desde infância até turnê de 2019.

 
 -   /
/ /

A série documental "Sandy e Junior: A História" chegou ao Globoplay na sexta (10), mas neste domingo (12) os fãs da dupla vão poder ver o primeiro episódio na Globo depois de "Tamanho Família".

Os irmãos abriram o baú de DVDs antigos da mãe Noely para contar o lado deles da carreira e de episódios polêmicos em sete episódios.

Lançar o documentário com uma certa distância do fim da dupla, que aconteceu em 2007 com a turnê do Acústico MTV, é considerada importante para os cantores.

"Agora a gente tem o distanciamento necessário para contar essa história, meio como quem vê de fora. Sem se abalar, sem correr riscos emocionais e tudo, sabe?", afirmou Sandy em entrevista coletiva por videoconferência.

"Eu costumo falar que é como uma terapia mesmo. É muito precioso", completa a cantora, que hoje tem 37 anos.

Assim como Sandy, Junior também se abre no documentário e mostra pontos sensíveis da carreira.

"[Agora] É mais fácil falar desses assuntos até porque a gente teve tempo de amadurecer isso dentro da gente", diz o cantor e músico de 36 anos.

"Acaba sendo uma terapia aberta quase, porque a gente acaba tocando em coisas muito profundas que a gente viveu, mas queira ou não são partes da história que trouxe a gente até aqui", completa.

  • Sandy e Junior lançam documentário sobre carreira: 'A gente pode contar através dos nossos olhos'

Ele até cita um período de depressão e pânico na coletiva. "Foram inevitáveis diante de tudo que a gente viveu. É uma história vitoriosa, consegui superar essas coisas, mas tem um lado negativo, como tudo na vida", explica o cantor.

Além de depoimentos da família e da equipe, o documentário conta com entrevistas com executivos da música e artistas como Ivete Sangalo, Roberto Carlos, Laura Pausini e Fernanda Rodrigues.

'Lugar de cura'

Sandy e Junior falam que, além do documentário, a volta para os palcos como dupla em 2019 serviu para "colocar certas coisas no lugar".

"Ocupou um lugar de cura para gente voltar para essa tour, para esses palcos, voltar a encontrar os fãs", diz Junior. "Encontrar os fãs e encontrar a gente", completa Sandy.

Sandy e Junior em show da turnê 'Nossa História' em São Paulo — Foto: Fábio Tito/G1

"Foi desafiador, um ato de muita coragem revisitar tudo isso, mas uma vez que já tava lá foi delicioso", afirma Junior.

Os irmãos percebem que a turnê renovou as energias para as carreiras solos. "Me deixou com mais vontades do que eu estava antes. Me lembrou de algumas coisas que talvez estivessem apagadas dentro de mim", lembra Junior.

Para a cantora, a turnê do ano passado foi um momento de confirmação: "Confirmei para mim mesma como eu amo isso, como eu gosto disso".

"O contraponto da mega turnê com a minha carreira solo, que tem outra vibe, outra cara, outro ritmo, também me mostra que esse é o meu lugar hoje. Eu gosto de estar aqui, eu escolhi estar aqui e quero voltar pra esse tipo de trabalho", explica.

"Foi maravilhoso, eu amei viver aquilo, mas eu também estou muito pronta e com muita vontade de voltar para minha carreira solo", diz Sandy.

Perrengues na turnê

A adrenalina depois dos shows de 2019 era tamanha que eles contam que era difícil dormir depois das apresentações.

"Eu saía com o peito desse tamanho de cada show e não conseguia dormir para processar. Foram noites e noites claro", lembra Junior.

O cantor fez alguns shows com um dedo do pé quebrado e lembra das dificuldades principalmente para dançar. Ele também passou mal com o calor no show de Recife.

  • Junior mostra que não é mais só 'irmão de Sandy' em show da dupla
  • FOTOS: turnê em São Paulo

Já Sandy fez os dois últimos shows em São Paulo, que foram gravados em DVD e entram no Globoplay na sexta (17), com rotavírus.

"Eu tava até com medo de desmaiar no palco e teve um momento que eu senti que ia desmaiar", lembra. "O que o público fez comigo, a energia do público, eu tenho certeza que foi isso que me levantou".

Eles comentaram que foi difícil sair do palco no último show, na cidade do Rock, no Rio de Janeiro e que lembraram muito da apresentação no Rock in Rio em 2001.

Em clima de despedida, Sandy e Junior encerram turnê com show para 100 mil pessoas no Rio — Foto: Marcos Serra Lima/G1

"Foi uma viagem no tempo dentro da minha própria cabeça, foi uma maluquice fazer esse show. Isso também fica contado um pouco no documentário", afirma Junior.

"Demorou para gente processar tudo que tinha acontecido ali. Foi triste ter que se despedir, sabe? Era um misto de alívio que deu tudo certo e a tristeza por acabar", finaliza Sandy.

Mais de 100 mil pessoas lotam Parque Olímpico para assistir show de Sandy e Júnior

Mais de 100 mil pessoas lotam Parque Olímpico para assistir show de Sandy e Júnior

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Variedades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE