Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Vacina russa contra a Covid-19 será testada em 2 mil voluntários no México

Imunização deverá ser testada também em 40 mil pessoas na Rússia; vacinação em massa tem previsão de começar em outubro, e a exportação, em novembro.

 
 -   /
/ /

A candidata russa a vacina contra a Covid-19 será testada em cerca de 2 mil voluntários no México, anunciou nesta quinta-feira (20) o chanceler mexicano, Marcelo Ebrard. Mais cedo, os desenvolvedores da imunização informaram que ela será testada em mais 40 mil pessoas na Rússia.

  • Vacina russa para Covid-19 deverá garantir imunidade por no mínimo 2 anos, dizem cientistas

Ebrard disse em entrevista coletiva que se reuniu com o embaixador russo no México para detalhar os testes. Além disso, ele informou que participou de reuniões com representantes de outros países latino-americanos interessados na vacina, sem dizer quais.

"Vamos ter pelo menos 2 mil [voluntários para os testes]. Estamos vendo com as autoridades de saúde de que tamanho precisa ser o protocolo", anunciou.

O chanceler mexicano disse que a Sputnik V, "chegará em breve" em seu país. Segundo ele, o México provavelmente também participará dos ensaios clínicos de outra vacina desenvolvida pelo laboratório Johnson & Johnson, no próximo mês.

Instituto Gamaleya, que desenvolve vacina russa, fala que a imunização deve durar 2 anos

Instituto Gamaleya, que desenvolve vacina russa, fala que a imunização deve durar 2 anos

Na quarta-feira (19), o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, afirmou em uma entrevista coletiva que estaria disposto a experimentar a vacina da Rússia se for se comprovada sua eficácia.

"Eu seria o primeiro a me deixar vacinar, mas temos que conhecer bem o que está acontecendo, garantir que seja algo efetivo", disse o López Obrador.

40 mil voluntários na Rússia

A vacina russa para a Covid-19 deverá dar imunidade à doença por no mínimo 2 anos, anunciou também nesta quinta-feira o Instituto Gamaleya, em Moscou, que desenvolveu a vacina Sputnik V.

A vacina foi registrada na semana passada pelo governo russo, mas, até agora, não foram publicados estudos que mostrem os resultados dos testes da imunização. Por isso, ela é vista com desconfiança pela comunidade internacional.

O Gamaleya também anunciou que a vacina deverá ser aplicada, a partir da semana que vem, em mais de 40 mil pessoas em 45 centros médicos na Rússia, como parte dos ensaios de fase 3. A vacinação em massa tem previsão de começar em outubro no país, e a exportação, em novembro.

VACINA CONTRA A COVID-19

  • Entenda o desafio de "candidatas" a vacina na luta contra o fracasso

  • Podcast "O Assunto" - O quanto falta para a vacina da Covid-19

  • Cientista brasileira explica o dilema da prova de eficácia

  • Butantan faz parceria com chinesa Sinovac para teste e produção da vacina

  • Putin anuncia que Rússia é o 1º país a registrar vacina contra o novo coronavírus

  • CoronaVac: candidata chinesa tem bons resultados na fase 2

  • Últimas notícias sobre vacinas

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Mundo

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE