Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Chefe da polícia de Rochester, nos EUA, deixa o cargo em meio às investigações do caso Daniel Prude

Homem negro teve um capuz colocado sobre a cabeça durante abordagem policial em março. Ele foi hospitalizado e morreu por sufocamento dias depois.

 
 -   /
/ /

O chefe da polícia de Rochester, La'Ron Singletary, anunciou nesta terça-feira (8) que deixará o cargo após avanços nas investigações do caso Daniel Prude, mais um homem negro morto após ação policial nos Estados Unidos.

Outros quatro policiais em altos cargos na corporação anunciaram a demissão. Singletary alegou que críticos estão tentando "destruir a carreira e a identidade" dele.

"A descaracterização e a politização das ações que eu tomei depois de ser informado da morte de Prude não são baseadas em fatos, e eu não apoio isso", disse o policial.

Mais cedo, a prefeita de Rochester, Lovely Warren, disse que soube de "novas informações trazidas à luz" sobre o caso Prude. Ela não deu mais detalhes, no entanto, sobre o avanço das investigações.

Na semana passada, os sete policiais envolvidos na abordagem a Prude foram suspensos das funções por decisão da prefeita. "Quando eu vi esse vídeo, fiquei furiosa", afirmou Warren, na ocasião.

Caso Daniel Prude

Daniel Prude, morto em ação policial nos EUA — Foto: Courtesy Roth and Roth LLP via AP

A família de Prude divulgou na semana passada um vídeo que mostra policiais colocando uma espécie de capuz sobre a cabeça do homem, que estava nu e visivelmente desorientado em um dia de neve. As imagens também mostram os agentes de segurança pressionando Prude sobre o chão. A ação ocorreu em março. Dias depois, ele morreu, e médicos legistas declararam morte por sufocamento.

Momento em que policial coloca capuz em homem negro nu em Rochester, perto de Nova York, nos EUA, em 30 de março — Foto: Rochester Police via Roth and Roth LLP via AP

Morte de mais um cidadão negro após operação policial alimenta novos protestos nos EUA

Morte de mais um cidadão negro após operação policial alimenta novos protestos nos EUA

Parentes de Prude alegam que Daniel sofria de doenças psiquiátricas. Momentos antes da abordagem policial, ele saiu da casa onde estava com a família com sinais de desorientação. Um irmão, então, pediu ajuda aos serviços de emergência.

  • SAIBA MAIS: Por que policiais colocam capuz em pessoas detidas nos EUA

O caso Daniel Prude veio à tona em um momento de protestos pelos EUA contra a violência policial e contra o racismo — que se tornou um dos temas em debate na corrida presidencial de 2020.

PLAYLIST: Vídeos sobre protestos antirracismo nos EUA

23 vídeos Policiais e manifestantes entram em confronto em Washington Viatura policial é incendiada durante protesto em Los Angeles Policiais usam bombas para dispersar manifestantes em Boston

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Mundo

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE