Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Casa Branca ordena que governo dos EUA prepare orçamento como se Trump tivesse ganhado, diz jornal

Segundo o Washington Post , ordem é mais um exemplo de que o presidente americano age como se tivesse sido reeleito. Biden foi apontado como vencedor no sábado 7 .

 
 -   /
/ /

A Casa Branca instruiu as agências federais americanas a continuarem preparando sua proposta de orçamento para o próximo ano fiscal, segundo o jornal "The Washington Post", o que mostra que o governo Trump segue se recusando a reconhecer a derrota nas eleições para o democrata Joe Biden.

  • Fim da apuração, confirmação oficial da vitória, posse: confira os próximos passos da eleição americana
  • Autoridades eleitorais não encontram indícios de fraude na vitória de Biden, aponta levantamento do 'New York Times'

O ano fiscal americano começa no quarto trimestre de 2021 e avança para 2022, e a proposta de orçamento precisa ser enviada ao Congresso até fevereiro.

Como o próximo mandato começa em 20 de janeiro, o futuro governo tem tempo hábil para preparar o documento e enviá-lo ao Congresso. Mas a atual administração segue agindo como se o republicano Donald Trump tivesse sido reeleito.

Impasse na transição

Desde que Joe Biden foi projetado no sábado (7) o vencedor da disputa nos Estados Unidos, a agência que poderia acelerar a transição de governo nos EUA se recusa a iniciar processo.

Nesta quinta-feira (12), a rede de televisão CNN revelou que o Departamento de Estado americano (o equivalente ao Itamaraty no Brasil) está impedindo que o presidente eleito tenha acesso a várias mensagens de líderes mundiais enviadas a Biden.

Na terça-feira (10), o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, disse que estava pronto para "iniciar a transição para um segundo mandato de Trump". Apesar da declaração do chefe da diplomacia americana, Biden já recebeu telefonemas e mensagens de diversas lideranças mundiais, exceto dos presidentes Jair Bolsonaro (Brasil), Vladimir Putin (Rússia) e Xi Jinping (China).

'Fingindo que nada aconteceu'

A decisão da administração federal de prosseguir com o orçamento de Trump para o ano fiscal de 2022 irritou e surpreendeu vários funcionários de carreira, segundo o "Washington Post".

"Eles estão fingindo que nada aconteceu", afirmou ao jornal, sob condição de anonimato, um funcionário do escritório de orçamento da Casa Branca. "Todos nós devemos fingir que isso é normal e fazer todo esse trabalho, mesmo sabendo que vamos ter que jogá-lo fora".

Questionado pelo "Washington Post" se o planejamento do orçamento fiscal de 2022 estava ocorrendo conforme planejado, um porta-voz da Casa Branca disse: "Claro".

Biden ignora resistência

Apesar da resistência do governo Trump em aceitar a derrota, Biden afirmou na terça-feira (10) que "já começou a transição". O presidente eleito dos EUA minimizou a resistência do Partido Republicano em iniciar o processo e disse que isso "não causa muitas consequências".

"O fato de que eles não querem reconhecer nossa vitória neste ponto não é algo que traga muita consequência ao nosso planejamento", disse Biden.

Presidente eleito dos EUA, Joe Biden, discursa nesta terça-feira (10) em Wilmington — Foto: Jonathan Ernst/Reuters

Na segunda-feira (9), a equipe de transição anunciou o conselho consultivo para medidas de combate à pandemia. Entre os membros está a brasileira Luciana Borio, pesquisadora sênior de saúde global do Conselho de Relações Exteriores dos EUA.

Na campanha, Biden prometeu uma estratégia completamente diferente da adotada por Trump contra a Covid. Essa era uma das principais promessas do democrata.

Veja vídeos das eleições nos EUA

20 vídeos Veículos de imprensa americana projetam vitória de Joe Biden no Arizona Eleição nos EUA foi a ‘mais segura da história’, diz Departamento de Segurança Alguns republicanos defendem acesso de Biden a informações necessárias à transição

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Mundo

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE