Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Com infecções em alta, médicos dos EUA pedem que Trump compartilhe dados da Covid-19 com Biden

País mais atingido pela pandemia de coronavírus sofre com impasse na transição. Presidente eleito, Joe Biden avisou que mais pessoas podem morrer se Donald Trump continuar a emperrar a passagem do poder.

 
 -   /
/ /

Médicos e enfermeiros dos Estados Unidos pediram em uma carta publicada nesta terça-feira (17) que o governo de Donald Trump compartilhe dados cruciais da Covid-19 com a equipe de transição do presidente eleito Joe Biden para evitar atrasos desnecessários no combate à pandemia, enquanto as infecções e hospitalizações por coronavírus estão em disparada no país.

Membros de diversas associações médicas fizeram um pedido por cooperação entre as duas administrações, um dia depois que Biden avisou que "mais pessoas podem morrer" caso Trump continue impedindo uma transição regular após sua derrota nas eleições de 3 de novembro.

  • RELATO: Enfermeira diz que pacientes com Covid são deixados para morrer em hospital nos EUA
  • ANÁLISE: Donald Trump é o maior entre os patos mancos da Casa Branca

Paciente faz teste para Covid-19 em San Francisco, nos EUA, na segunda-feira (16) — Foto: Jeff Chiu/AP Photo

Autoridades de saúde alertaram que o inverno do hemisfério norte pode trazer uma nova onda de mortes pela Covid-19 com a contaminação comunitária se alastrando pelo país, com as hospitalizações em nível recorde.

"Dados e informações em tempo real sobre o fornecimento e a oferta de tratamentos, testes, equipamentos de proteção individual, ventiladores, capacidade hospitalar e disponibilidade das forças de trabalho para planejar o destacamento dos ativos do país precisam ser compartilhados para salvarmos um número incontável de vidas", disse a carta, assinada pela liderança da Associação Médica Americana, pela Associação de Enfermeiros Americanos e pela Associação de Hospitais Americanos.

Pandemia agravada nos EUA

Usando máscara, homem pedala nas ruas de Portland, no Maine (EUA), nesta terça-feira (17) — Foto: Robert F. Bukaty/AP Photo

A taxa crescente de novas infecções no outono do hemisfério norte, mesmo em Estados que já haviam conseguido controlar o vírus durante o verão, levou as autoridades sanitárias e governamentais a soarem o alarme.

Quarenta e um Estados norte-americanos registraram altas recordes de casos de Covid-19 em novembro, enquanto 20 deles reportou máximas em mortes e 26 marcaram recordes de hospitalizações, de acordo com uma contagem da Reuters de dados de Saúde pública.

Os Estados Unidos bateram um total de 11 milhões de infecções totais no domingo, apenas oito dias depois de chegar à marca dos 10 milhões.

VÍDEOS: Eleições nos EUA 2020

20 vídeos Diretor que reiterou que eleições nos EUA foram seguras é demitido por Trump Donal Trump demite diretor de agência que assegurou a lisura das eleições americanas Biden faz alerta sobre as consequências negativas da recusa de Trump em reconhecer derrota

BIDEN É ELEITO PRESIDENTE DOS EUA

  • Vitória de Biden é projetada pela imprensa

  • 'Serei o presidente de todos os americanos', diz Biden

  • 'Eleição está longe de terminar', diz Trump

  • Perfil: saiba quem é Joe Biden

  • Perfil: saiba quem é nova primeira-dama, Jill

  • Perfil: saiba quem é Kamala Harris, a nova vice-presidente

  • AO VIVO: acompanhe a cobertura em tempo real

  • MAPA DA APURAÇÃO: contagem ainda não terminou

  • Repercussão da vitória

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Mundo

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE