Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Motorista de aplicativo denunciado por importunação sexual dá versão sobre o caso e diz que é inocente

Jovem disse ao G1 que não mostrou pênis para passageira, nem estava se masturbando. Apenas tinha havia esquecido o zíper da calça aberto.

 
 -   /
/ /

O caso de um motorista de aplicativo preso por importunação sexual em Santarém, no oeste do Pará, tem gerado muita revolta e indignação na sociedade. O jovem que chegou a ser preso, contou sua versão sobre o caso e disse que não mostrou pênis para passageira, e sim que havia esquecido zíper da calça aberto.

Ao G1, o rapaz que preferiu não ser identificado, contou que estava precisando urinar, mas como estava a caminho de uma corrida, não teria tempo para ir em casa. Por esse motivo, ele resolveu urinar em uma garrafa de água que ele tinha no carro.

Ainda segundo o motorista, após urinar, ele acabou esquecendo o zíper da calça aberto, o que causou uma interpretação equivocada por parte da passageira que chamou a polícia para prendê-lo.

  • Motorista de aplicativo mostra partes íntimas a uma jovem e acaba sendo preso em Santarém
  • Motorista denunciado por importunação sexual é solto em audiência de custódia, mas banido de aplicativo

De acordo com a denúncia, a mulher teria flagrado o motorista acariciando o pênis e conseguiu tirar uma foto. O motorista contou que a passageira pegou o contato dele para realizar outra corrida mais tarde.

Cerca de 1 hora depois de sair da casa da jovem, ela ligou e solicitou que ele retornasse para realizar outra corrida. Mas ao chegar na casa da passageira, a polícia já o aguardava para prendê-lo.

“Eu a respeitei e ela sabe disso, pois no próprio depoimento da passageira à polícia, ela afirmou que eu não dei em cima dela ou falei algo com segundas intenções. A polícia me revistou e viu que eu não estava mal intencionado. As pessoas estão revoltadas pensando que eu assediei ela, mas não aconteceu nada disso, só conversamos sobre a corrida que era para o namorado dela e sobre o pagamento dessa corrida”, contou o motorista.

Ainda segundo o motorista, a justiça o liberou sem haver necessidade de pagamento de fiança, por considerar que a foto não comprovava que ele estivesse se masturbando.

O motorista foi banido do aplicativo de mobilidade no qual prestava serviços, o Urbano Norte. A empresa informou ao G1 que não compactua com o ato e que o motorista foi excluído sem possibilidade de retorno.

Devido a denúncia de importunação sexual, o motorista está sofrendo represálias e contou que por dessa situação está tendo crises de ansiedade e de choro. Ele garante que está sendo acusado de um crime que não cometeu. O jovem contou que sua imagem foi divulgada em grupos e blogs, onde recebeu todos os tipos de xingamentos e ameaças.

“Vamos até o fim para que eu prove que sou inocente. Preciso trabalhar e sustentar minha família, minha filha. Estou sendo acusado de um crime que não cometi”, contou o motorista.

Sem trabalhar, o motorista disse que vai provar sua inocência à justiça. Uma audiência será marcada para que as versões do motorista e da passageira sejam esclarecidas.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Cidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE