Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Merkel anuncia extensão do lockdown na Alemanha até o fim de janeiro

País está com número de casos e de mortes por coronavírus em alta. Outros governos europeus também endureceram as medidas de isolamento para conter explosão da Covid-19 no continente.

 
 -   /
/ /

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, anunciou nesta terça-feira (5) a extensão do lockdown em todo o país até o fim de janeiro. A medida é uma tentativa de conter os números ainda muito altos de casos e de mortes pelo novo coronavírus.

"Precisamos restringir ainda mais os contatos. Pedimos a todos os cidadãos que diminuam seus contatos próximos ao nível mínimo possível", disse Merkel após reunião com líderes dos 16 estados federados alemães.

As primeiras medidas para conter a segunda onda foram adotadas em novembro. Porém, logo no início de dezembro, Merkel reconheceu que o "lockdown parcial" não foi suficiente para conter o vírus e anunciou um confinamento ainda mais rígido que duraria até, no mínimo, 10 de janeiro. Nesta terça, o governo alemão decidiu estender as restrições.

As novas medidas são as seguintes:

  • Moradores de zonas consideradas "focos" da Covid-19 não poderão se deslocar em uma distância superior de 15 quilômetros sem um motivo considerado relevante. Segundo a agência Deutsche Welle, um em cada seis distritos está acima do patamar de 200 casos por 100 mil moradores em 7 dias, o que é considerado crítico.
  • Encontros privados entre moradores de casas diferentes estão limitados: apenas uma pessoa poderá visitar a residência de outra por vez.
  • Pessoas que chegarem à Alemanha de áreas consideradas de risco precisarão apresentar dois testes negativos para o coronavírus. Uma quarentena de cinco dias será obrigatória mesmo se o primeiro exame der resultado negativo.
  • Famílias receberão 10 dias de licença para cuidar dos filhos; pais solteiros terão direito a 20 dias.

Na Alemanha, policiais cercam a área ao redor do Portão de Brandenburgo, marco de Berlim, na véspera do ano novo — Foto: Associated Press

Outras regras, definidas desde dezembro, ainda estão em vigor:

  • Comércio não essencial está fechado
  • Creches e escolas permanecem fechadas
  • Proibido o consumo de álcool nas ruas
  • Eventos religiosos estão mantidos sob regras de higiene; cantos estão proibidos

Segundo a chanceler alemã, a ideia do lockdown é reduzir as transmissões a um ponto em que o rastreamento de todos os casos seja possível. Além disso, Merkel se disse otimista com o início da vacinação, que já começou na Alemanha, em grupos prioritário. Segundo ela, a partir da segunda quinzena de janeiro mais pessoas receberão a vacina contra a Covid-19.

Monitoramento da Universidade Johns Hopkins mostra que a Alemanha registra mais de 1,86 milhão de casos de coronavírus desde o começo da pandemia. Mais de 36 mil pessoas morreram no país em decorrência da Covid-19.

Europa aperta o cerco contra o coronavírus

A manutenção das médias móveis de casos e mortes por Covid-19 em patamares altos levou outros governos europeus a permanecerem ou até endurecerem as medidas de confinamento contra o novo coronavírus nesta virada de ano. A preocupação é ainda maior porque há em circulação novas variantes do Sars-CoV-2 mais transmissíveis. Veja abaixo.

  • Reino Unido

Passageiros usam máscara na Estação de Waterloo, em Londres, no primeiro dia do novo lockdown na Inglaterra — Foto: Justin Tallis/AFP

Nesta terça, a Inglaterra e a Escócia entraram em mais um lockdown — o Reino Unido é o país mais atingido por essas variantes do coronavírus. Lá, as pessoas estão autorizadas a sair de casa apenas em caso de necessidades médicas, compra de alimentos, prática de exercício físico e trabalho presencial, quando este for indispensável.

Além disso, nesses países do Reino Unido, creches continuam funcionando, e restaurantes, bares e cafés podem funcionar apenas para sistema de entrega ou retirada de alimentos (e a venda de bebidas alcoólicas só poderá ser realizada em entregas).

Boris Johnson anuncia novo lockdown na Inglaterra

Boris Johnson anuncia novo lockdown na Inglaterra

  • Itália

Na Itália, os ministros decidiram manter as restrições nacionais em vigor no fim de semana para desacelerar as infecções por coronavírus, mas concordaram em flexibilizar as regras durante a semana.

Os italianos passaram grande parte do Natal e do Ano Novo em casa. As pessoas foram autorizadas a sair de casa apenas para trabalho, saúde e emergências, ou para viagens curtas para ver um número limitado de amigos ou parentes.

Essas regras expiram na quinta-feira, e os ministros concordaram em uma reunião de gabinete na noite de segunda-feira em retornar ao antigo sistema de três níveis, que permite que diferentes medidas sejam aplicadas a diferentes regiões.

Mas todos os bares e restaurantes do país terão que fechar neste fim de semana, com viagens entre cidades reduzidas ao mínimo.

O governo também decidiu adiar de quinta para segunda-feira a reabertura das escolas de ensino médio com 50% de sua capacidade.

VÍDEOS: novidades sobre vacinas contra a Covid-19

200 vídeos VÍDEO: Países consideram aumentar prazo entre doses da vacina da Pfizer, explica Mariângela Simão VÍDEO: Vacinas são 'bens públicos', diz brasileira diretora de setor da OMS VÍDEO: 'Sinovac ainda não apresentou dossiê completo da análise da OMS', diz diretora

CORONAVÍRUS

  • VÍDEOS: Coronavírus: perguntas e respostas

  • VACINA: testes estão em andamento pelo mundo; SIGA as novidades

  • Manual das máscaras: como fazer, como usar e a importância do uso

  • Como se prevenir do coronavírus?

  • Saiba quais os sintomas do coronavírus e quando procurar um médico

  • Veja o que é #FATO ou #FAKE sobre o coronavírus

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Mundo

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE