Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

OMS aprova uso emergencial da vacina de Oxford

Antes, somente a vacina da Pfizer tinha aval da OMS. No Brasil, vacina de Oxford foi aprovada pela Anvisa e agora ministério aguarda entrega das doses compradas via aliança Covax.

 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) aprovou, nesta segunda-feira (15), o uso emergencial da vacina de Oxford/AstraZeneca contra a Covid-19. Duas versões da vacina entraram na lista de uso emergencial da entidade: a produzida pela própria AstraZeneca-SKBio, na Coreia do Sul, e a outra pelo Instituto Serum, na Índia.

  • BOATO DESMENTIDO: Vacina contra Covid não afeta fertilidade, afirmam especialistas
  • COVID LONGA: Entenda o que é e conheça 55 efeitos de longo prazo

Com a aprovação, as vacinas poderão ser oferecidas por meio da aliança Covax Facility, iniciativa da OMS para garantir o acesso equitativo às vacinas da Covid a países mais pobres. Além disso, o aval da entidade pode ser usado por países que ainda não fizeram suas próprias avaliações do imunizante.

Apenas uma outra vacina, a da Pfizer, já havia entrado na lista de uso emergencial da OMS.

A aprovação da vacina de Oxford pela OMS já era esperada: o grupo de especialistas da entidade para imunização (SAGE, na sigla em inglês) já havia divulgado, na semana passada, as orientações de uso da vacina de Oxford.

Entrega do Covax para o Brasil

No Brasil, a Anvisa já liberou o uso emergencial e a vacina de Oxford está sendo aplicada no Programa Nacional de Imunizações (PNI). O Ministério da Saúde aguarda a entrega de doses da vacina de Oxford compradas por meio da aliança Covax, liderado pela OMS.

O Ministério da Saúde comprou 42 milhões de doses, e já tem previsão para receber 10,6 milhões até junho.:

  • Entre 2.668.200 e 3.735.480 no primeiro trimestre, ou seja, até março (25% a 35%)
  • Entre 6.937.320 e 8.004.600 no segundo trimestre, ou seja, até junho (65% a 75%)

A entrega estava programada para começar no final de fevereiro, mas a Covax explica que o valor é uma projeção e depende de uma série de fatores, como disponibilidade das vacinas, lista de emergência da OMS, aceitação dos países e questões de logística.

VÍDEO: Qual o modelo de máscara mais eficiente para barrar o novo coronavírus? VÍDEO: Qual o modelo de máscara mais eficiente para barrar o novo coronavírus? 1 min VÍDEO: Qual o modelo de máscara mais eficiente para barrar o novo coronavírus?

VÍDEO: Qual o modelo de máscara mais eficiente para barrar o novo coronavírus?

Cientistas da Universidade Duke, nos Estados Unidos, compararam 14 tipos de máscaras de pano quanto à proteção contra a doença causada pelo coronavírus Sars-CoV-2.

window.PLAYER_AB_ENV = "prod"

Aplicação no Brasil

A vacina de Oxford é uma das duas que já estão sendo aplicadas no Brasil – a outra é a CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac –, depois de obterem autorização de uso emergencial da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A vacina de Oxford/AstraZeneca produzida na Índia pelo Instituto Serum é distribuída com o nome de "Covishield".

Na semana passada, a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), braço da OMS nas Américas, disse que as primeiras doses das vacinas distribuídas por meio da Covax devem chegar aos países americanos no fim deste mês.

Veja VÍDEOS sobre a vacinação no Brasil:

27 vídeos Primeira a receber imunizante no Brasil, Mônica Calazans toma 2ª dose da CoronaVac Cidades vacinam profissionais fora da linha de frente antes de idosos Cidade de Serrana, SP, terá vacinação em massa para estudo do Butantan

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Mundo

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE