Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Geórgia tem protesto após prisão de líder da oposição

Nika Melia, líder do principal partido de oposição, o Movimento de União Nacional, foi detido nesta terça-feira.

 
 -   /
/ /

Centenas de pessoas se reuniram nas ruas de Tbilisi, capital da Geórgia, para protestar contra a prisão de Nika Melia, líder do principal partido de oposição do país, o Movimento de União Nacional (MUN), nesta terça-feira (23).

Melia foi retirado pela polícia de dentro da sede do partido, e cumpre agora uma prisão preventiva, noticiou a emissora de televisão Mtavari. A operação policial acontece poucos dias depois que o primeiro-ministro Giorgi Gakharia renunciou ao cargo.

Protesto em Tbilisi, capital da Geórgia, após a prisão de líder da oposição em 23 de fevereiro de 2021 — Foto: Irakli Gedenidze/Reuters

A Geórgia vive uma crise política desde 2019, quando protestos contra o governo eclodiram no país. A situação piorou em outubro do ano passado, após o partido governista Sonho Georgiano vencer o pleito e opositores começarem a questionar o resultado das urnas.

Dezenas de opositores também foram detidos nesta terça, após a polícia dispersar um acampamento montado em frente à sede do governo na capital com bombas de gás lacrimogêneo.

A ação policial não repercutiu bem entre os aliados ocidentais desta ex-república soviética do Cáucaso.

Mapa identifica a cidade de Tblisi, na Geórgia, onde manifestantes protestaram após prisão de opositor — Foto: G1 Mundo

"Chocado com as cenas na sede do MUN esta manhã", escreveu o embaixador britânico na Geórgia, Mark Clayton. "A violência e o caos em Tbilisi são as últimas coisas de que a Geórgia precisa neste momento."

Manifestantes se reúnem em Tbilisi, capital da Geórgia, após a prisão de Nika Melia, líder do partido de oposição Movimento de União Nacional, em foto de 23 de fevereiro de 2021 — Foto: Irakli Gedenidze/Reuters

A embaixada dos Estados Unidos disse em um comunicado que está "profundamente preocupada" com a detenção de Nika Melia. Na nota, eles ressaltam que a força e a agressividade "não são a solução para resolver as diferenças políticas na Geórgia".

Um tribunal da capital da Geórgia, Tbilisi, decidiu na quarta-feira prender Melia sob a acusação de organizar "violência em massa" durante protestos contra o governo em 2019. Se condenado, pode pegar nove anos de prisão.

Nika Melia, líder da oposição da Geórgia contra quem tribunal emitiu ordem de prisão, em foto de outubro de 2020 — Foto: AP Photo

Ele nega todas as acusações, e alega sofrer perseguição política.

Na segunda-feira, o Parlamento confirmou a nomeação do ministro da Defesa, Irakli Garibashvili, como novo primeiro-ministro.

Em um discurso para os deputados, Garibashvili anunciou que o governo prenderia Melia – e a promessa foi cumprida.

Protesto em Tbilisi, capital da Geórgia, após a prisão de líder da oposição em 23 de fevereiro de 2021 — Foto: Irakli Gedenidze/Reuters

O novo primeiro-ministro é considerado um político leal ao oligarca Bidzina Ivanishvili, fundador do partido Sonho Georgiano, homem mais rico do país e considerado por muitos como a pessoa que realmente controla o poder, apesar de oficialmente não ter um cargo político.

No poder desde 2012, o partido Sonho Georgiano perdeu popularidade em um cenário de estagnação econômica e de ataques aos princípios democráticos.

VÍDEOS mais vistos do G1

200 vídeos Nasa divulga vídeo de pouso do robô Perseverance em Marte Policiais fazem doações para família flagrada em mudança irregular no Oeste de SC Delegada trocava favores e falava informalmente com Padre Robson: 'Oi, sumido

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Mundo

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE