Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Governo brasileiro autoriza a concessão de visto humanitário a afegãos

Medida é parecida com a que já ocorre com sírios e haitianos. Documento é feito fora do Brasil, em consulados ou embaixadas brasileiras no exterior – como a de Islamabad, no Paquistão.

 
 -   /
/ /

Os ministérios das Relações Exteriores e da Justiça e Segurança Pública anunciaram nesta sexta-feira (3) que o Brasil poderá conceder visto humanitário a afegãos que desejarem deixar o Afeganistão por conta do regime talibã.

A informação foi antecipada pelo blog da Julia Duailibi pela ministra Maria Elizabeth Guimarães Teixeira Rocha, do Superior Tribunal Militar (STM), e confirmada pelo governo brasileiro.

No mês passado, o Itamaraty afirmou que preparava a concessão dos vistos humanitários "em termos semelhantes aos concedidos a haitianos e sírios”. O pedido de visto humanitário, diferentemente do de refúgio, tem de ser feito fora do Brasil, em alguma autoridade consular.

No caso do Afeganistão, a mais próxima é a embaixada de Islamabad, no Paquistão. Segundo o Itamaraty, as embaixadas em Teerã, Moscou, Ancara, Doha e Abu Dhabi também estarão habilitadas a processar os pedidos de visto "para acolhida humanitária".

Grupos prioritários

O governo brasileiro afirmou que mulheres, crianças, idosos, pessoas com deficiência e seus familiares terão prioridade na concessão do visto. Ele destacou também que o grupo de 270 juízas afegãs que pediu ajuda para deixar o país poderá dar entrada no pedido deste documento.

"A medida é baseada nos fundamentos humanitários da política migratória brasileira", disseram os ministérios em nota. "Reafirmando o compromisso brasileiro com o respeito aos direitos humanos e com a solidariedade internacional."

Mulher grita frases de protesto contra o governo durante manifestação após o ataque a bomba que deixou 90 mortos perto da Praça Zanbaq, em Cabul, Afeganistão — Foto: Wakil Kohsar/AFP

Retirada das tropas

Os Estados Unidos terminaram a retirada de suas tropas do Afeganistão na segunda-feira. O presidente Joe Biden não quis estender a retirada das tropas para além da data limite de 31 de agosto.

Ele afirmou que a comunidade internacional espera que o Talibã cumpra com o compromisso de permitir a saída daqueles que queiram deixar o país.

VÍDEO: Talibã comemora com tiros saída de tropas americanas do Afeganistão

VÍDEO: Talibã comemora com tiros saída de tropas americanas do Afeganistão

window.PLAYER_AB_ENV = "prod"

Os talibãs vêm adotando um tom muito mais moderado do que a realidade de 20 anos atrás, quando o grupo extremista controlou o país pela primeira vez, adotando rígidas regras de conduta – especialmente para mulheres – e impondo restrições severas e violentos castigos físicos.

No entanto, há diversos relatos de perseguição a membros do governo, a proibição de que mulheres possam trabalhar e circular livremente e repressão aos profissionais da imprensa e seus familiares.

Sob o governo talibã, entre 1996 e 2001, entretenimentos como televisão e música foram proibidos, as mãos dos ladrões eram cortadas, e assassinos, executados em público.

Mulheres ficaram proibidas de trabalhar, ou estudar; e as acusadas de adultério eram açoitadas e apedrejadas até a morte.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Mundo

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE