Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Paciente com suspeita de doença da urina preta consumiu pacu comprado na orla de Santarém

Entre 2 a 3 horas após consumir o peixe assado, Valdir Rufino dos Santos começou a sentir dores musculares.

 
 -   /
/ /

Um dos pacientes internados no Hospital Municipal Dr. Alberto Tolentino Sotelo, com sintomas característicos da Síndrome de Haff, conhecida como doença da urina preta, Valdir Rufino dos Santos (Valdir Macapá), 55 anos, passou mal após ter consumido pacu que ele mesmo comprou na Orla de Santarém, no oeste do Pará.

À Tv Tapajós, a filha de Valdir, Vanessa Maria Ebraim dos Santos disse que foi informada pela esposa do pai dela, que ele comprou os peixes na tarde de quinta-feira (9) e que estava bem, sem qualquer queixa até comer o pescado. "Eu não moro com eles. Mas a esposa dele me relatou que ele estava bem, mas cerca de 2 a 3 horas depois de comer o pacu ele começou a se queixar de dores nas pernas, na nuca, no estômago, mas ficou por isso mesmo, porque ele é durão pra doença. Mas, hoje (sexta) pela manhã o estado dele piorou, as pernas adormeceram, muita dor de cabeça, teve dificuldade de se movimentar, aí ele foi levado para o hospital", contou.

Ainda de acordo com Vanessa dos Santos, foi coletado sangue de seu pai para exame e os resultados apresentaram alterações. A urina também foi coletada e visualmente ela estava muito escura e as dores persistiam. Após a avaliação do paciente a família foi informada que ele ficaria internado e que havia suspeita de doença da urina preta.

"Isso (doença da urina preta) é uma coisa muito séria e as pessoas precisam ficar alertas", disse Vanessa dos Santos.

Em Santarém, além de Valdir Macapá, outro paciente com sintomas da doença da urina preta está internado no Hospital Municipal, e um terceiro após melhora do quadro clínico recebeu alta.

Até este sábado (11), o único óbito com suspeita da doença é do mototaxista Genivaldo Cardoso, 55 anos, ocorrido no dia 5, no HMS.

Devido aos relatos dos pacientes com casos suspeitos sobre o aparecimento dos sintomas após ingestão de peixes, a Prefeitura de Santarém publicou decreto na noite de sexta-feira (10) que proíbe a comercialização no município de três espécies de pescado [tambaqui, pirapitinga e pacu] provenientes do estado do Amazonas, estado onde já há casos confirmados da doença da urina preta.

Sintomas

A doença da urina apresenta sintomas como: extrema rigidez muscular de forma repentina, dores musculares, dor torácica, dificuldade para respirar, dormência, perda de força em todo o corpo e urina cor de café, pois o rim tenta limpar as impurezas, o que causa uma lesão na musculatura. A doença causa muitas dores musculares, lembrando a dengue, porém sem febre.

Os sintomas costumam aparecer entre 2 e 24 horas após o consumo dos peixes ou crustáceos.

VÍDEOS: Mais vistos do G1 Santarém e Região

200 vídeos

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Cidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE