Variedades

Variedades

Fechar
PUBLICIDADE

Variedades

Fifa dobra valor para licença de nome em game, pede US$ 1 bilhão e EA considera rebatizar franquia

De acordo com o New York Times , entidade do futebol e desenvolvedora também não concordam sobre extensão dos direitos de exclusividade.

 
 -   /
/ /

A Fifa pediu mais do que o dobro do valor atual para renovar o contrato de licenciamento que permite à Electronic Arts o uso do nome da entidade em sua franquia de games de futebol.

De acordo com reportagem publicada nesta quarta-feira (13) pelo jornal "New York Times", a Fifa quer receber mais de US$ 1 bilhão a cada quatro anos, o ciclo estabelecido pelas Copas do Mundo.

Com isso, a desenvolvedora considera rebatizar a série, quando o acordo atual de dez anos terminar, após a Copa do Mundo do Catar em 2022. Com uma edição nova todo ano, a mais recente, "Fifa 22", foi lançada em 1º de outubro.

Leia mais:

  • G1 jogou: 'Fifa 22' se aproveita da nova geração de consoles, mas edição anual é desnecessária
  • 'eFootball 2022': Konami pediu desculpas por lançamento problemático

Na quinta-feira (7), a EA publicou um longo comunicado no qual discutia o futuro da franquia. No fim, afirmou que está "explorando a ideia de renomear nossos jogos globais de futebol da EA Sports".

Mbappé no 'Fifa 22' — Foto: Divulgação

A organização e a empresa também discordam em relação à extensão dos direitos de exclusividade.

Em busca de novas oportunidades de arrecadação com licenças, a entidade maior do futebol mundial prefere que o uso da EA se limite apenas ao game em si.

Já a desenvolvedora quer continuar a ter exclusividade sobre o nome em áreas relacionadas, como em torneios e na venda de produtos digitais, como NFTs.

O jornal afirma que uma decisão sobre a disputa deve ser divulgada até o fim de 2021.

O fim do acordo entre a Fifa e a EA pode encerrar o uso do nome da franquia, que utiliza o nome da entidade desde 1993, quando foi lançada com o game "Fifa International Soccer".

Mas a mudança não deve afetar outros aspectos dos jogos, já que outros contratos da desenvolvedora com organizações como a Uefa e o FIFPro, o sindicato mundial de jogadores, ainda garantem o uso de nomes de atletas e suas características físicas, além de marcas como a da Liga dos Campeões.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Variedades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE