Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Empresário próximo de Maduro diz que não irá colaborar com Justiça americana

Alex Saab é acusado de lavagem de dinheiro e foi extraditado neste sábado 16 para os Estados Unidos. Ele deve comparecer a um um tribunal da Flórida nesta segunda.

 

O empresário colombiano Alex Saab, próximo do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e extraditado neste sábado (16) para os Estados Unidos, acusado de lavagem de dinheiro, disse que irá enfrentar o processo "com dignidade". Ele afirmou ainda que não tem "nada a colaborar" com aquele país, segundo uma carta lida neste domingo (17) por sua mulher.

"Enfrentarei o julgamento com toda a dignidade. Quero deixar claro que não tenho nada a colaborar com os Estados Unidos, não cometi nenhum crime", disse Camilla Fabri ao ler o documento em Caracas, durante um evento organizado por autoridades venezuelanas em apoio à Saab, do qual participaram cerca de 300 pessoas.

Apontado como testa de ferro de Maduro, Saab comparecerá a um tribunal da Flórida nesta segunda-feira (18), informou o Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

"Declaro que estou em pleno uso da minha razão, que não sou suicida, para o caso de me assassinarem e dizerem que cometi suicídio", declarou o empresário colombiano, que especialistas acreditam que conhece todas as engrenagens financeiras ocultas de Caracas.

A mulher de Saab disse que soube por sua irmã do processo de extradição do empresário a partir de Cabo Verde, realizado "pelas costas dos advogados e pelas nossas costas". "O que mais incomoda os Estados Unidos é que meu marido jamais irá ceder. Jamais!", exclamou.

"Ele tem a fortaleza da verdade e da inocência", afirmou.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Mundo

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE