Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Casa Verde e Amarela: Jaguariúna SP tem avanços na construção de moradias

Fábrica no interior paulista tem como finalidade a produção de moradias direcionada ao público do Programa Casa Verde e Amarela com tecnologia inovadora

 

Fomentar a inovação tecnológica no setor da construção civil, possibilitando a redução de custos, a sustentabilidade ambiental e a melhoria da qualidade da produção habitacional, é uma das atribuições do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR). Com esse objetivo, o secretário nacional de Habitação do MDR, Alfredo dos Santos, visitou, em Jaguariúna (SP), a fábrica da Construtora Tenda, responsável pela produção dos componentes utilizados nas casas dos residenciais Alea, que têm como característica principal a alta tecnologia usada na construção.

As moradias dos residenciais Alea têm como público principal beneficiários do Programa Casa Verde e Amarela e utilizam tecnologia de Wood Frame – sistema que usa placas e perfis de madeira para construir casas e edifícios. A intenção é gerar ganhos de produtividade para a empresa, benefícios tangíveis para os compradores e ganhos para o meio ambiente.

“A industrialização dos sistemas e subsistemas e a inovação de materiais e componentes são o futuro da construção civil, em especial para as habitações de interesse social”, afirmou Alfredo dos Santos. “A Secretaria Nacional de Habitação vem apoiando diversas iniciativas de empresas e entidades nesse setor da construção civil”, reforçou.

Tecnologias em Wood Frame apresentadas por duas construtoras já foram homologadas pelo Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP-H), ação do MDR que regulamenta as qualidades construtivas das habitações sociais por meio de avaliações de conformidade das empresas, dos fabricantes e dos sistemas construtivos.

No site do PBQP-H, na seção de métodos inovadores, são apresentadas soluções para a utilização do sistema construtivo em Wood Frame na execução desde unidades unifamiliares térreas e sobrados isolados ou geminados a edifícios multifamiliares de até três pavimentos. Saiba mais neste link.

Outra iniciativa do MDR é o Acordo de Cooperação Técnica entre a Secretaria Nacional de Habitação, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) para induzir a inovação tecnológica no setor. A parceria foi assinada em abril de 2021 e tem duração de dois anos.

Entre as medidas previstas no acordo estão a criação de um grupo de trabalho para avaliação prévia das solicitações de homologação junto ao PBQP-H, a disponibilização de um canal de apoio técnico especializado para agilizar os processos burocráticos e a formação de uma comissão de estudos especiais voltada para a normatização de produtos inovadores que se encontram em fase de homologação.
 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Cidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE