Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Tradicional dicionário francês inclui pronome neutro: '''iel'''

O Le Robert justificou a inclusão dizendo que o uso desse pronome está em alta na França. Ministro da Educação da França criticou iniciativa.

 

O dicionário Le Robert, um dos mais tradicionais da língua francesa, incluiu neste mês um pronome neutro na lista de palavras. A inclusão irritou políticos da França, inclusive o ministro da Educação, Jean-Michel Blanquer e a primeira-dama Brigitte Macron (veja as reações no fim desta reportagem).

  • Compartilhe esta notícia no Whatsapp
  • Compartilhe esta notícia no Telegram

Além do "il" (ele) e "elle" (ela), o dicionário agora também conta com o pronome neutro "iel", uma mistura dos dois e equivalente ao "elu" por vezes usados pelos defensores da linguagem não binária no Brasil.

LEIA TAMBÉM

  • O que é linguagem neutra? ENTENDA
  • Mais que uma letra: comunidade LGBTQIA+ explica o significado de cada uma
  • Narradores usam pronome 'elu' para se referir a Quinn nas Olimpíadas de Tóquio

Mais que uma letra: 'Não me encaixava no grupo dos homens, nem das mulheres', diz Beta

window.PLAYER_AB_ENV = "prod"

Em nota publicada em seu site oficial, o "Le Robert" defendeu a decisão. "Se o uso desse pronome ainda é relativamente pequeno [...], ele está em forte alta nos últimos meses", afirmou. O verbete, porém, sinaliza que seu uso é raro.

"A missão do Robert é observar a evolução de uma língua francesa em movimento, diversa, e de levar isso em conta. Definir as palavras que contam o mundo é ajudar a melhor compreendê-lo", diz a nota.

Relembre no VÍDEO abaixo: EUA emitiram 1º passaporte com gênero neutro

EUA emitem 1º passaporte com identidade de gênero neutro

window.PLAYER_AB_ENV = "prod"

Políticos criticam gênero neutro

A mudança não foi bem recebida por alguns setores da política da França. O ministro da Educação, Jean-Michel Blanquer criticou a linguagem inclusiva:

"Não é o futuro da língua francesa", escreveu nas redes sociais.

Brigitte Macron, primeira-dama da França, disse em entrevista:

"Há dois pronomes: ele e ela. A língua é bela e está bem com dois pronomes"

O deputado François Jolivet, que é do mesmo partido do presidente Emmanuel Macron, também apontou críticas ao gênero neutro.

"Esse tipo de iniciativa leva a uma língua danificada, que desune seus falantes em vez de reuni-los", disse, em carta aberta.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Mundo

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE