Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Estrela chinesa do tênis some após acusar dirigente do Partido Comunista de agressão sexual

Peng Shuai, uma das maiores estrelas do esporte na China, acusou um importante político, o ex-vice-premiê Zhang Gaoli, de forçá-la a fazer sexo. E-mail atribuído a ela agora nega o crime.

 

Uma das maiores estrelas do tênis da China, Peng Shuai está desaparecida desde que acusou um importante político do Partido Comunista chinês, o ex-vice-premiê Zhang Gaoli, de forçá-la a manter relações sexuais.

A preocupação aumentou após a imprensa estatal chinesa divulgar um e-mail atribuído à tenista em que ela negava as próprias acusações contra Gaoli, que foi um dos políticos mais poderosos da China entre 2013 e 2018, quando ocupou o cargo de vice-premiê.

Um trecho da mensagem dizia: "Não estou sumida nem estou insegura. Só tenho descansado em casa e está tudo bem". Ela foi enviada ao chefe da WTA (Associação de Tênis Feminino, na sigla em inglês), Steve Simon, que expressou dúvida sobre o seu conteúdo.

"A declaração divulgada hoje pela mídia estatal chinesa sobre Peng Shuai apenas levanta minhas preocupações quanto à sua segurança e paradeiro", disse Simon em um comunicado por escrito.

"Tenho dificuldade em acreditar que Peng Shuai realmente escreveu o e-mail que recebemos ou acredita no que está sendo atribuído a ela", declarou o chefe da WTA.

VEJA TAMBÉM:

  • Yahoo e Fortnite deixam a China devido à pressão e censura sobre o setor digital
  • Microsoft vai fechar LinkedIn na China e criar versão sem posts de usuários

A então diretora do FMI, Christine Lagarde. aplaude discurso do então vice-premiê chinês, Zhang Gaoli, na abertura do Fórum de Desenvolvimento da China, em 2015 — Foto: Jason Lee/Reuters

Shuai foi líder do ranking mundial de duplas e campeã em Wimbledon em 2013 e em Roland Garros em 2014 — dois dos quatros torneios mais importantes do mundo. Ela fez o relato em sua conta oficial na rede social Weibo, o "Twitter chinês", e foi censurada.

O Twitter e outras redes sociais "ocidentais" como o Facebook e o Instagram são bloqueados na China, e o desaparecimento de informações que desagradam ao governo é recorrente no país.

A publicação da tenista foi excluída cerca de meia hora após ter sido feita — assim como todas as referências ao caso. Desde então, Shuai não foi mais vista nem fez qualquer outra publicação ou declaração pública, alarmando a comunidade global do tênis.

Repercussão mundial

Jogadores e ex-jogadores, de Naomi Osaka a Novak Djokovic e Billie Jean King, expressaram apoio e preocupação por Peng. Muitas jogadoras usaram a hashtag #WhereIsPengShuai nas redes sociais.

“A WTA e o resto do mundo precisam de provas independentes e verificáveis ??de que ela está segura”, escreveu o chefe da WTA. "Tentei repetidamente entrar em contato com ela por meio de várias formas de comunicação, sem sucesso".

Procurada pela agência de notícias Reuters, a Associação Chinesa de Tênis não se pronunciou até o momento.

Governo chinês se cala

O governo chinês também não comentou a alegação inicial da tenista, feita no momento em que o país se prepara para sediar as Olimpíadas de Inverno de Pequim, em fevereiro.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Zhao Lijian, foi questionado nesta quinta-feira (18) sobre o paradeiro de Shuai e se a China está preocupada que o caso possa afetar a imagem do país antes das Olimpíadas.

"Minha resposta é muito simples: este não é um assunto de relações exteriores e não estou ciente da situação que você mencionou", afirmou o porta-voz.

LEIA TAMBÉM:

  • Zhang Zhan, presa por filmar início da pandemia em Wuhan, é premiada pela Repórteres Sem Fronteiras
  • Estátua de menina que encarou touro de Wall Street poderá ser 'despejada' no fim do mês; entenda

VÍDEOS: as últimas notícias internacionais

200 vídeos

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Mundo

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE