Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Mega vacinação contra a Covid-19 tem início neste sábado 20 em todo o país

O Ministério da Saúde enviou cerca de 360 milhões de doses para todos os estados e Distrito Federal, quantitativo de vacinas suficiente para o cumprimento de todas essas etapas da campanha

 

Neste sábado (20) foi iniciada a Mega Campanha de vacinação contra a Covid-19 por todo o Brasil. Mais de 38 mil salas de vacinação por todo o país estavam prontas para proteger os 21 milhões de pessoas que ainda não tomaram a segunda dose da vacina. E para chamar atenção da importância de completar o esquema vacinal, o Ministério da Saúde mobilizou seis capitais por todas as regiões do país: Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Manaus (AM), Curitiba (PR), Brasília (DF) e Salvador (BA)

Na Região Sul, a ação ocorreu na Unidade de Saúde Ouvidor Pardinho, em Curitiba (PR) e até o fechamento desta edição, o município já tinha aplicado 6.164 doses na capital paranaense. No Sul, quase dois milhões de pessoas podem tomar a segunda dose. O Paraná é o estado da região com maior quantitativo de pessoas com o ciclo vacinal incompleto: são 728.7 mil paranaenses que precisam tomar a segunda dose da vacina. No Rio Grande do Sul e em Santa Catarina são, respectivamente, 692,7 mil e 531,7 mil pessoas que ainda não estão completamente protegidas com as duas doses. 

Na Região Nordeste, a capital escolhida para a mobilização foi Salvador (BA), que centralizou as ações na Arena Fonte Nova e foi onde mais 600 pessoas receberam a segunda dose da vacina. Além disso, a capital baiana contou com mais de 60 postos de vacinação nas modalidades drive trhu e para pedestres. Nos estados do Nordeste, mais de 6,7 milhões de brasileiros precisam voltar aos postos de vacinação para a segunda dose. A Bahia tem 2 milhões de pessoas nessa mesma situação, seguida pelo Ceará, com 1,3 milhão de brasileiros com o ciclo vacinal incompleto.

Semana de Conscientização Antimicrobiana: automedicação com antibióticos e analgésicos preocupa especialistas de Saúde

Brasil e Paraguai assinam acordo para reduzir os riscos à saúde na fronteira, durante e após a pandemia da Covid-19

Pela Região Centro-Oeste, a ação do Dia D foi realizada no Distrito Federal com 4 pontos estratégicos: 8 feiras com grande circulação de pessoas, na Rodoviária do Plano Piloto e em outros espaços públicos. Os estados da região mais o Distrito Federal somam mais de 1,5 milhão de pessoas aptas a receberem a segunda dose do imunizante: São 174 mil no Distrito Federal, 394,2 mil em Goiás, 201,6 mil em Mato Grosso e 219,5 em Mato Grosso do Sul. Além disso, quase um milhão de pessoas já podem tomar a dose de reforço ainda em novembro. 

Na Região Norte do país, Manaus (AM) foi uma das seis capitais do país a realizar a Mega Vacinação contra a Covid-19, neste sábado (20) e, por lá, a mobilização se concentrou na Arena da Amazônia. Mas outros trinta postos de vacinação foram distribuídos na cidade, vacinando na modalidade drive-thru e pedestre. No norte, o Pará é o estado com o maior número de pessoas que podem se vacinar com a segunda dose. São mais de um milhão de pessoas só nesse estado. Em seguida vêm os estados do Amazonas, com 436,7 mil, e Rondônia, com 180,2 mil pessoas que ainda não retornaram para completar o esquema vacinal. 

Na Região Sudeste, as cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro participaram da ação. Na capital paulista, o evento de mobilização foi realizado na UBS Jardim Colombo, na Zona Sul de São Paulo (SP), e cerca de 14 mil pessoas foram vacinadas contra a Covid-19. Segundo o Ministério da Saúde, São Paulo tem 4,1 milhões de pessoas que podem tomar a segunda dose. Em Minas Gerais são 2,3 milhões que precisam completar o esquema vacinal. No Espírito Santo, 336,6 mil pessoas já podem tomar a segunda dose.

Para o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o sucesso dessa campanha de vacinação se deve pela força-tarefa formada pelos profissionais de saúde do sistema público e todo o esforço na luta contra a Covid-19. “O Brasil tem sido, hoje, um case de sucesso no enfrentamento da pandemia. E isso só é possível graças à extraordinária força do Sistema Único de Saúde (SUS), cujo pilar central foi a encomenda tecnológica à AstraZeneca para produzir vacinas no Brasil. Com infra nacional, na nossa Fundação Oswaldo Cruz, que é um patrimônio de todos os brasileiros”, afirmou.

O Rio de Janeiro foi a cidade onde o ministro da Saúde participou e a que centralizou as atividades nacionais do evento. Por lá, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, destacou que essa campanha é um marco para o Brasil. “Esse sábado é muito importante para o Brasil e para a cidade do Rio de Janeiro. Hoje a gente tem mais de seis mil profissionais de saúde trabalhando na campanha, são 280 pontos de vacinação. Está tudo mobilizado para a vacina contra a Covid-19. A gente espera que o Rio de Janeiro continue avançando na campanha”, avaliou. 

Entre as pessoas que podem tomar a segunda dose, cerca de 2,9 milhões têm entre 30 e 34 anos, faixa etária com o maior número de pessoas que não voltaram ao posto de vacinação. O grupo de jovens é o segundo maior, com aproximadamente 2,8 milhões de brasileiros que têm entre 25 e 29 anos. A recomendação do Ministério da Saúde é para que os brasileiros voltem aos postos de vacinação, mesmo após o prazo recomendado pelos fabricantes. Os intervalos entre as doses da Pfizer e Astrazeneca são de 8 semanas e da Coronavc, 28 dias. 

O Ministério da Saúde distribuiu, até o momento, cerca de 360 milhões de doses para todos os estados e Distrito Federal, quantitativo de vacinas suficiente para o cumprimento de todas essas etapas da campanha. Dessas, quase 300 milhões foram aplicadas, o que significa um saldo de aproximadamente 60 milhões de doses a mais.

Apesar de este sábado ser o “Dia D” da Mega Vacinação contra a Covid-19 - que é considerada pelo Governo Federal, como a maior campanha da história brasileira;  a iniciativa continua de segunda a sexta-feira da próxima semana. 


Dados da Covid-19 

O Brasil registrou mais 13.355 casos e 226  óbitos por Covid-19, de acordo com o balanço mais recente do Ministério da Saúde. Desde o início da pandemia, mais de 22.003.317 milhões de brasileiros foram infectados pelo novo coronavírus. 

O Rio de Janeiro ainda é o estado com a maior taxa de letalidade entre as 27 unidades da federação: 5,15%. O índice médio de letalidade do País está em 2,8%. 

Taxa de letalidade nos estados

RJ    5,15%
SP    3,46%
AM    3,22%
PE    3,16%
MA    2,83%
PA    2,79%
GO    2,65%
AL    2,62%
PR    2,59%
CE    2,59%
MS    2,56%
MG    2,54%
MT    2,52%
RO    2,43%
RS    2,42%
PI    2,18%
BA    2,17%
SE    2,17%
ES    2,13%
PB    2,12%
DF    2,10%
AC    2,10%
RN    1,98%
TO    1,70%
SC    1,62%
AP    1,61%
RR    1,60%


Os números têm como base o repasse de dados das Secretarias Estaduais de Saúde ao órgão. Acesse as informações sobre a Covid-19 no seu estado e município no portal brasil61.com/painelcovid.  
 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Cidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE