Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Deputada é advertida por levar seu bebê ao Parlamento britânico

Stella Creasy, parlamentar da oposição trabalhista, publicou a uma imagem de um e-mail oficial alertando que ela não poderia comparecer à Câmara dos Comuns com uma criança .

 

A deputada britânica Stella Creasy foi advertida por comparecer à Câmara dos Comuns com o pequeno Pip, seu bebê de 3 meses, gerando debate no Reino Unido sobre os direitos dos parlamentares que se tornam pais.

Creasy publicou a uma imagem de um e-mail oficial alertando que ela não poderia comparecer ao Parlamento britânico com uma criança.

A deputada disse que já havia levado Pip e sua filha mais velha ao Parlamento sem problemas, mas foi informada que as regras mudaram em setembro e os parlamentares agora são informados de que "não devem tomar seu lugar na Câmara quando acompanhados por seu filho".

VEJA TAMBÉM:

  • Licença-maternidade: o país rico onde as mulheres não têm direito ao afastamento remunerado
  • Província chinesa quer dar licença-maternidade de 1 ano para incentivar casais a terem filhos
  • Veja os direitos trabalhistas e previdenciários das mães no Brasil
  • Pai solo, oficial da Marinha luta por direito à licença-maternidade no DF

As parlamentares não têm direto à licença-maternidade prolongada nem a ser substituídas provisoriamente no Reino Unido.

Elas podem votar por procuração desde 2019 porque a também parlamentar trabalhista Tulip Siddiq adiou uma cesárea e compareceu a uma importante votação do Brexit em uma cadeira de rodas.

Até fevereiro, as ministras do governo britânico eram obrigadas a renunciar quanto tinham filhos. Desde então, passaram a ter o direito a seis meses de licença-maternidade remunerada e podem ser substituídas.

Questionado pela rede de televisão BBC sobre o assunto, o vice-primeiro-ministro Dominic Raab disse que "devemos garantir que nossa profissão se enquadre ao século 21 e permita que os pais conciliem trabalho e tempo para a família".

O vice-primeiro-ministro afirmou também que a presença de um bebê não impedia a parlamentar trabalhar, mas ressaltou que "a decisão final cabe às autoridades da Câmara".

Conhecido por sua cultura machista e alcoólatra, o Parlamento britânico mudou nos últimos anos e um dos vários bares do prédio foi convertido em uma creche para os filhos de políticos e funcionários.

VÍDEOS: as últimas notícias internacionais

200 vídeos

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Mundo

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE