Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Organizadores de ato extremista em Charlottesville são condenados a pagar indenização de R$ 144,85 milhões

Entre os réus estão Jason Kessler, o principal organizador; Richard Spencer, que originou o termo alt-right , uma rede livre de grupos que inclui supremacistas brancos e neonazistas.

 

A Justiça dos Estados Unidos decidiu que os organizadores da passeata de supremacistas brancos que aconteceu em 2017 na cidade de Charlottesville, no estado da Virginia, devem pagar cerca de US$ 26 milhões (R$ 144,85 milhões) para compensar os danos causados pelos manifestantes.

Nove pessoas foram à Justiça para dizer que tinham sofrido traumas durante o ato em Charlottesville —entre elas, quatro mulheres que foram atingidas pelo carro do neonazista James Fields, que atacou uma multidão de manifestantes que eram contrários aos extremistas na cidade com seu veículo e matou Heather Heyer, de 32 anos.

As vítimas processaram por agressão e agressão, inflição intencional de sofrimento emocional e violações das leis de direitos civis da Virgínia e dos Estados Unidos.

Agosto de 2017 - Nacionalistas brancos participam de uma marcha iluminada por tochas no campus da Universidade da Virgínia em Charlottesville, Virgínia, em 11 de agosto de 2017 — Foto: Stephanie Keith/Reuters/Arquivo

Os réus argumentaram que estavam exercendo seus direitos constitucionais e haviam obtido uma autorização legal para o rali, culpando Fields pela violência mortal, o motorista que matou Heyer e outros.

Fields foi condenado à prisão perpétua depois de ser condenado por assassinato e crimes de ódio.

O processo recebeu apoio financeiro de um grupo de direitos civis sem fins lucrativos, Integrity First for America.

O julgamento durou quatro semanas.

‘Judeus não vão nos substituir’

Em Charlottesville havia uma estátua do general Robert E. Lee, que comandou as tropas do sul dos EUA na guerra civil americana.

Os extremistas americanos incorporaram imagens e ícones do sul dos EUA na guerra civil, como a de Lee.

A prefeitura então decidiu retirar a estátua da cidade.

Começaram então as manifestações contra a retirada da estátua. Centenas de nacionalistas brancos viajaram para Charlottesville em agosto de 2017, com alguns marchando no campus da Universidade da Virgínia carregando tochas e gritando "Os judeus não vão nos substituir".

"Estamos entusiasmados com o fato de o júri ter dado um veredicto a favor de nossos demandantes, finalmente dando-lhes a justiça que eles merecem após o horrível fim de semana de violência e intimidação em agosto de 2017", disseram as advogadas Roberta Kaplan e Karen Dunn.

Entre os réus estão Jason Kessler, o principal organizador; Richard Spencer, que originou o termo "alt-right", uma rede livre de grupos que inclui supremacistas brancos e neonazistas e vários grupos nacionalistas brancos.

Veja os vídeos mais assistidos do g1

200 vídeos

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Mundo

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE