Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Operação policial de combate à poluição sonora e perturbação do sossego fecha bares em Belém

Abordagens e verificação de estabelecimentos começaram na noite deste sábado 8 e devem seguir durante o primeiro semestre, diz Polícia Civil.

 

A operação "Inconveniência", da Polícia Civil, fez abordagens e verificação de estabelecimentos em Belém na noite deste sábado (8).

No total, foram duas autuações em flagrante pelo crime de alcoolemia - ou embriaguez ao volante; 30 multas, sendo 28 motocicletas e dois carros - 9 foram apreendidos; além de cinco estabelecimentos fechados por falta de licença para funcionamento, ocupação irregular de calçadas, licenças vencidas e descumprimento de decreto estadual de prevenção ao coronavírus.

Segundo a Polícia Civil, equipes aplicaram também autuações administrativas com intimações para procedimentos policiais.

Foram 19 bares e similares fiscalizados, além de dez carros com som automotivo notificados. Uma mesa de som foi apreendida em um bar que estava sem licença para funcionamento. O estabelecimento foi fechado e autuado.

A operação deflagrada pela Divisão Especializada em Meio Ambiente e Proteção Animal (Demapa), tem intuito de combater crime de poluição sonora e perturbação do sossego alheio em lojas de conveniências, bares e casas de shows. As denúncias podem ser feitas pelo disque-denúncia 181 e 190.

A força-tarefa teve agentes da Diretoria de Polícia Administrativa (DPA), Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), da Polícia Civil; além de apoio da Polícia Militar (PM), Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Guarda Municipal de Belém e Ordem Pública.

Os estabelecimentos comerciais percorridos pelos policiais ficam localizados nos bairros do Parque Verde, Coqueiro, Marco, distrito de Icoaraci e Marambaia. Neste último, os agentes percorreram as avenidas Tavares Bastos, Rodolfo Chermont e a Travessa 2 do conjunto Gleba 3.

O titular da Demapa, Delegado Waldir Freire, disse que essas ações são realizadas para orientar e repreender à população.

"Essa é uma das ações para fiscalizar denúncias sobre níveis de poluição sonora, que causam danos à sociedade e meio ambiente, além do bloqueio de vias públicas, aglomerações de pessoas e perturbação do sossego alheio. Ressaltamos que para quem comete o crime de poluição sonora culposa a pena é de três meses a um ano e a dolosa é de um ano a três anos de reclusão", informou.

De acordo com a PC, a operação "Inconveniência" deve se estender ao longo do semestre de 2022, para tentar diminuir as práticas de poluição sonora e perturbação da tranquilidade.

Além do atendimento diário do Disque-Silêncio, a Polícia Civil também deve levantar a demanda de ocorrências denunciadas, além da identificação da área de maior incidência, para que o local seja alvo da operação.

Veja outras notícias do estado no g1 Pará

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Cidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE